A Mesa das Nações

Gênesis 8: 18-19 declara o seguinte “E os filhos de Noé que saíram da arca foram Sem, Cão e Jafé. … Estes três eram filhos de Noé, e destes, toda a população da terra se espalhou para o exterior."

Observe o último passado da frase "e a partir destes foi todos os a população da terra se espalhou para o exterior. ” Sim, toda a população da terra! No entanto, muitos hoje questionam essa afirmação simples.

Que evidência existe para isso? Gênesis 10 e Gênesis 11 contêm uma passagem comumente referida como Tabela das Nações. Ele contém um número considerável de gerações provenientes dos filhos de Noé.

Vamos levar algum tempo e examinar o registro da Bíblia e ver se há algum vestígio fora da Bíblia para verificar sua precisão. Primeiro, daremos uma breve olhada na linha de Jafé.

Para um pdf muito bom da Tabela das Nações, conforme registrado em Gênesis 10, consulte o seguinte ligação.[I]

Japheth

 Por exemplo, Gênesis 10: 3-5 fornece o seguinte:

Jafé teve os seguintes filhos:

Gomer, Magogue, Madai, Javan, Tubal, Meseque, Tiras.

Gomer teve os seguintes filhos:

Ashkenaz, Rifhath, Togarmah

Javan teve os seguintes filhos:

Eliseu, Társis, Gatinho, Dodanim.

A conta continua dizendo: “Destes a população das ilhas das nações se espalhou em suas terras, cada uma segundo a sua língua, [devido à dispersão da torre de Babel]segundo as suas famílias, pelas suas nações " (Gênesis 10: 5).

Essa é a única menção dessas pessoas e de suas famílias e nações na Bíblia?

Não não é. 1 Crônicas 1: 5-6 contém uma lista semelhante a Gênesis 10.

Talvez o que possa ser mais interessante para os estudantes da Bíblia seja Ezequiel 38: 1-18.

Ezequiel 38: 1-2 fala sobre Gogue da terra de Magogue (soa familiar?), Mas observe quem ele é: “O chefe dos chefes de Meseque e Tubal” (Ezequiel 38: 3). Estes foram dois dos filhos de Jafé, como Magogue. Mais adiante, em Ezequiel 38: 6, lê-se: “Gomer e todas as suas bandas, a casa de Togarmah, nas partes mais remotas do norte” São mencionados. Togarmah era filho de Gomer, o primogênito de Jafé. Alguns versículos depois, Ezequiel 38:13 menciona "Os comerciantes de Társis" filho de Javan, filho de Jafé.

Portanto, nessa base, Gogue de Magogue era uma pessoa real, em vez de Satanás ou alguém ou alguma outra coisa, como alguns interpretaram essa passagem. Magogue, Meseque, Tubal, Gomer, Togarma e Társis eram todos filhos ou netos de Jafé. Além disso, as áreas em que viviam passaram a ser nomeadas em homenagem a eles.

Uma busca na Bíblia por Társis traz de volta muitas referências. 1 Reis 10:22 registra que Salomão tinha uma frota de navios de Társis, e que a cada três anos a frota de navios de Társis vinha carregando ouro e prata, marfim, macacos e pavões. Onde estava Társis? O marfim vem dos elefantes, assim como os macacos. Pavões vêm da Ásia. Era claramente um grande centro comercial. Isaías 23: 1-2 liga Tiro, um porto comercial dos fenícios na costa do Mar Mediterrâneo, no sul do atual Líbano, com os navios de Társis. Jonas 1: 3 nos diz que "Jonah começou a se levantar e fugir para Társis ... e finalmente desceu para Jope e encontrou um navio indo para Társis ”. (Joppa fica ao sul de Tel-Aviv, Israel, na costa do Mediterrâneo). A localização exata agora é desconhecida, mas os pesquisadores a identificaram com lugares como Sardenha, Cádiz (sul da Espanha), Cornualha (sudoeste da Inglaterra). Todos esses locais corresponderiam às descrições bíblicas da maioria das escrituras citando Társis e seriam alcançáveis ​​a partir da costa mediterrânea de Israel. É possível que houvesse dois lugares chamados Társis como 1 Reis 10:22 e 2 Crônicas 20:36 indicariam um destino árabe ou asiático (de Eziom-Geber, no Mar Vermelho).

Hoje, o consenso é que a Askenaz se estabeleceu na área do noroeste da Turquia (perto de Istambul dos dias atuais, Rifate na costa norte da Turquia no Mar Negro, Tubal na costa nordeste da Turquia no Mar Negro, com Gomer estabelecido em Turquia oriental - Kittim foi para Chipre, com Tiras na costa sul da Turquia, em frente a Chipre.Meshech e Magog estavam na área de montanhas de Ararat, ao sul do Cáucaso, com Togarmah ao sul delas e Tubal na Armênia moderna.

Para um mapa indicando as áreas de assentamento, consulte https://en.wikipedia.org/wiki/Meshech#/media/File:Noahsworld_map.jpg

Existe algum vestígio de Jafé fora da Bíblia?

A mitologia grega tem Iapetos \ Iapetus \ Japetus. Os filhos de Japeto eram algumas vezes considerados como ancestrais da humanidade e eram vistos como deuses. Iapetos era visto como um deus titã, simbolizando a mortalidade.

O hinduísmo acredita que o deus Pra-japati seja o Deus mais alto e criador do universo no período védico da Índia antiga, agora identificado com Brahma. Pra em sânscrito = encaminhar, ou primeiro ou original.

Os romanos tinham Iu-Pater, que se tornou Júpiter. Júpiter é Deus do céu e do trovão e rei dos deuses na mitologia antiga.

Você pode ver o padrão em desenvolvimento? Sons fonéticos semelhantes ou nomes derivados do jafet hebraico. Um deus de quem outros deuses e eventualmente a humanidade vieram.

Mas há alguma evidência mais confiável e definitiva que essa, como a evidência escrita? Sim existe. Vamos agora olhar para as Histórias Europeias, onde as genealogias são registradas.

História dos britânicos

Um 8th O historiador do século chamado Nennius escreveu um “História dos britânicos"(Historia Brittonum) Ele simplesmente compilou uma coleção de genealogias de fontes mais antigas (sem criar a sua própria). No capítulo 17, seu registro declara; “Eu aprendi de outro relato deste Brutus [do qual o britânico deriva] dos livros antigos de nossos ancestrais. Depois do dilúvio, os três filhos de Noé ocuparam várias partes diferentes da terra. Sem estendeu suas fronteiras para a Ásia, Ham para África e Jafé na Europa.

O primeiro homem que habitou na Europa foi Alanus, com seus três filhos Hisicion, Armenon e Neugio. Hisicion teve quatro filhos, Francus, Romanus, Alamanus e Brutus. Armenon teve cinco filhos, Gothus, Valagothus, Cibidi, Burgundi e Longobardi: de Neugio, Bogari, Vandali, Saxones e Tarincgi. Toda a Europa foi subdividida nessas tribos. ” [Ii].

Você percebe os nomes das tribos com os quais você pode estar familiarizado? Em ordem, os francos, romanos, albans, bretões. Então os godos, visigodos, cibidi (uma tribo germânica), borgonheses, lombardos [Longobards]. Finalmente, os bávaros, vândalos, saxões e turíngia.

Nennius continua Dizem que Alanus era filho de Fethuir; Fethuir, filho de Ogomuin, que era filho de Thoi; Thoi era filho de Boibus, Boibus off Semion, Semion de Mair, Mair de Ecthactus, Ecthactus de Aurthack, Aurthack de Ethec, Ethec de Ooth, Ooth de Aber, Aber de Ra, Ra de Esraa, Esraa de Hisrau, Hisrau de Bath Bath de Jobath, Jobath de Joham, João de Jafé, Jafé de NoéNoé de Lameque, Lameque de Matusalém, Matusalém de Enoque, Enoque de Jarede, Jarede de Malaleel, Malaleel de Cainã, Cainã de Enos, Enos de Sete, Sete de Adão e Adão foram formados pelo Deus vivo. Obtivemos essas informações respeitando os habitantes originais da Grã-Bretanha da tradição antiga. ”

Observe como ele traça a genealogia de Alanus desde Jafé, filho de Noé.

No capítulo 18, ele registra que Jafé teve sete filhos; do primeiro nome Gomer, desceu o Galli; de Magogue, os citas [citas] e godos; do terceiro, Madian, o Medi [medianos ou medos]; do quarto Juuan [Javan], os gregos; do quinto, Tubal surgiu Hebrei, Hispani [hispânico] e Itali [italianos]; a partir do sexto, Mosoch [Mesech] surgiu nos Cappadoces [cappadoceians] e no sétimo, o nome Tiras, desceu os Trácias [Trácia] ”.

Nennius também dá o registro genealógico para os britânicos. “Os bretões eram assim chamados de Brutus: Brutus era filho de Hisicion, Hisicion era filho de Alanus, Alanus era filho de Rhea Silvia, Rhea Siliva era filha de Eneas, Eneas de Anchises, Anquises de Troius, Troius de Dardanus, Dardanus de Flisa, Flisa de Juuin [Java], Juuin de Japheth; ”. Como observação lateral, observe Troius [Tróia] e Dardanus [Dardanelos, o estreito estreito onde o canal do Mar Negro encontra o Mar Mediterrâneo]. Observe como mais uma vez ela é rastreada até Jafé, voltando para Alanus, depois via mãe, em vez do pai, a uma descendência diferente de Jafé.

A Crônica dos Reis da Grã-Bretanha

Outra fonte, A Crônica dos Reis da Grã-Bretanha[III] p. XXVIII descreve Anchises (mencionado na genealogia de Nennius acima) como um parente de Príamo, e o dardaniano como um portão de Tróia (pXXVII). A parte inicial da Crônica relata como Brutus, filho de Hisicion, filho de Alanus, veio se estabelecer na Grã-Bretanha e fundou Londres. Isso é datado da época em que Eli era sacerdote na Judéia e a Arca da Aliança estava nas mãos dos filisteus (ver p31).

Nennius dá "... Esraa de Hisrau, Hisrau de Bath, Bath de Jobath, Jobath de Joham, Joham de Jafé ..." aqui nas linhas dos reis celtas britânicos. Esses mesmos nomes, Esraa, Hisrau, Bath e Jobath, embora em uma ordem diferente, também aparecem na linha de reis celtas irlandeses gravados de maneira totalmente separada e independente.

História da Irlanda

G Keating compilou um História da Irlanda[IV] em 1634 a partir de muitos registros antigos. A página 69 nos diz que "A Irlanda, de fato, estava deserto trezentos anos após o dilúvio, até Partholón, filho de Sera, filho de Sru, filho de Esru, filho de Fraimint, filho de Fathacht, filho de Magog, filho de Magog, filho de Japheth, que o ocupou". A ortografia e a ordem são ligeiramente diferentes, mas podemos combinar Esraa com Esru e Sru com Hisrau. A linha britânica então desvia através de Bath, Jobath e Joham [Javan] até Japheth, enquanto a linha irlandesa passa por Fraimin, Fathacht e Magog até Japheth. No entanto, essas não são necessariamente contradições quando lembramos das grandes migrações depois que Babel estava no 5th geração.

Entende-se que Magogue deu origem aos citas (uma raça de guerreiros particularmente temível) e os irlandeses há muito mantêm tradições de que descendem dos citas.

Confiabilidade desses textos

Alguns céticos podem sugerir que se trata de invenções ou mudanças tardias feitas por cristãos irlandeses (os irlandeses não eram cristãos até a época do início dos anos 400 dC com a chegada de Palladius (por volta de 430)), seguida em breve por St Patrick (santo padroeiro da Irlanda) em 432 AD.

Com relação a esta nota, encontramos o capítulo V, p. 81-82, de “Uma História Ilustrada da Irlanda de AD400 - 1800AD”, de Mary Frances Cusack.[V].

"Os Livros de Genealogias e Pedigrees formam um elemento mais importante na história pagã irlandesa. Por razões sociais e políticas, o irlandês celta preservou sua árvore genealógica com precisão escrupulosa. Os direitos de propriedade e o poder governante foram transmitidos com exatidão patriarcal em reivindicações estritas de primogenitura, cujas reivindicações só podiam ser recusadas sob certas condições definidas por lei. Assim, genealogias e genealogias se tornaram uma necessidade familiar; mas como as reivindicações particulares podem ser questionadas e a questão da autenticidade envolvia resultados tão importantes, um funcionário público responsável foi nomeado para manter os registros pelos quais todas as reivindicações foram decididas. Cada rei tinha seu próprio gravador, que era obrigado a manter um relato verdadeiro de sua linhagem e também das linhagens dos reis provinciais e de seus principais chefes. Os reis provinciais também tinham seus gravadores (Ollamhs ou Seanchaidhé [73]); e em obediência a uma lei antiga estabelecida muito antes da introdução do cristianismo, todos os registros provinciais, bem como os dos vários chefes, eram obrigados a serem fornecidos a cada três anos para a convocação em Tara, onde eram comparados e corrigidos. "

Reis anglo-saxões e descendência real

Alfred, o Grande - Rei de Wessex

Muitos de nossos leitores, se familiarizados com a história inglesa, conhecerão Alfredo, o Grande.

Este é um trecho de sua biografia[Vi] "Anais do reinado de Alfredo, o Grande" autorizado pelo próprio Alfred.

“No ano da encarnação de nosso Senhor, 849, nasceu Alfred, rei dos anglo-saxões, na vila real de Wanating, em Berkshire,…. Sua genealogia é traçada na seguinte ordem. O rei Alfredo era filho do rei Ethelwulf, filho de Egbert, filho de Elmund, filho de Eafa, filho de Eoppa, filho de Ingild. Ingild e Ina, o famoso rei dos saxões ocidentais, eram dois irmãos. Ina foi para Roma, e lá terminando esta vida com honra, entrou no reino celestial, para reinar ali para sempre com Cristo. Ingild e Ina eram os filhos de Coenred, que era filho de Coelwald, que era filho de Cudam, que era filho de Cuthwin, que era filho de Ceawlin, que era filho de Cynric, que era filho de Creoda , que era filho de Cerdic, que era filho de Elesa, que era filho de Gewis, de quem os britânicos nomeiam toda aquela nação Gegwis, que era filho de Brond, que era filho de Beldeg, que era filho do Woden, que era filho de Frithowald, que era filho de Frealaf, que era filho de Frithuwulf, que era filho de Finn de Godwulf, que era filho de Geat, que os pagãos de Geat adoravam por muito tempo como um deus. … Geat era filho de Taetwa, que era filho de Beaw, que era filho de Sceldi, que era filho de Heremod, que era filho de Itermon, que era filho de Hathra, que era filho de Guala, que era o filho de Bedwig, quem era filho de Sceaf, [Não Shem, mas Sceaf, ie Jafé][Vii] quem era filho de Noé, filho de Lameque, filho de Metusalém, filho de Enoque, filho de Malaleel, filho de Cainian, filho de Cainian, filho de Enos, filho de Sete, quem era o filho de Adão. (página 2-3).

Observe como Alfredo traçou sua genealogia desde Adão, através da linha de Jafé. Observe também outro nome possivelmente familiar que foi adorado como um deus pelos vikings, o de Woden (Odin).

Mais uma vez, alguns perguntaram isso porque Alfred se tornou cristão. A resposta é não. Os saxões cristãos conheciam Jafé como Iafeth, não Sceaf.

Saxões Ocidentais

Além disso, o Crônica Anglo-Saxônica (p.48) registra a genealogia de Ethelwulf, rei dos saxões ocidentais e pai de Alfredo, o Grande, na entrada do ano AD853, terminando com “Bedwig of Sceafisto é, o filho de Noé, que nasceu na arca "[Viii] repetindo claramente a genealogia original (pagã) em vez de uma ortografia cristã corrigida.

“Ethelwulf era filho de Egberto, Egberto de Elmund, Elmundo de Eafa, Eafa de Eoppa, Eoppa de Ingild; Ingild era irmão de Ina, rei dos saxões do oeste, ele que manteve o reino trinta e sete anos, e depois foi para São Pedro, onde renunciou a sua vida; e eles eram os filhos de Kenred, Kenred de Ceolwald, Ceolwald de Cutha, Cutha de Cuthwin, Cuthwin de Ceawlin, Ceawlin de Cynric, Cynric de Cerdic, Cerdic de Elesa, Elesa de Esla, Esla de Gewis, Gewis de Wig, Wig de Freawin, Freawin de Frithogar, Frithogar de Brond, Brond de Beldeg, Beldeg de Woden, Woden de Fritliowald, Frithowald de Frealaf, Frealaf de Frithuwulf. Frithuwulf de Finn, Finn de Godwulf, Godwulf de Geat, Geat de Tcetwa, Tcetwa de Beaw, Beaw de Sceldi, Sceldi de Heremod, Heremod de Itermon, Itermon de Hatlira, Hathra de Guala, Guala de Bedwig, Bedwig of Sceaf, ou seja, o filho de Noé, ele nasceu na arca de Noé; ”.

Saxões dinamarqueses e noruegueses

In “Scriptores Rerum Danicarum, Medii AE VI - Jacobus Langeberk 1772” [Ix] encontramos a seguinte genealogia em 3 seções.

Página 26 da versão pdf (página 3 do livro), de Seskef [Jafé] até Oden \ Voden \ Woden,

Página 27 (página 4 do livro) de Oden a Yngvarr,

Página 28, (página 5 do livro)) até Haralldr Harfagri, da Casa Real da Noruega.

Na mesma página, há uma genealogia de Oden a Ingialdr Starkadar da Casa Real da Dinamarca.

Este livro de 1772AD também contém uma cópia do Ethelwulf to Sceafing \ Sceafae [Japheth], filho de Noé, genealogia da linha de descendência anglo-saxônica (Wessex) nas 4 páginas seguintes (página 6-9, pdf página 29-32).

Essas são referências suficientes para os fins deste artigo. Há mais disponível para aqueles que ainda não estão convencidos.

Precisão geral da Tabela de Nações

Além das genealogias consideradas acima, de diferentes países e fontes diferentes que mostram evidências de que a maioria dos europeus descende de Jafé, há também a confirmação importante de todos os nomes dos descendentes de Noé, mencionados no relato de Gênesis 10, coletivamente denominados , a Tabela das Nações.

Nesta passagem das escrituras, existem 114 indivíduos nomeados. Desses 114, podem ser encontrados vestígios de 112 desses indivíduos fora da Bíblia. Muitos nomes de lugares ainda conhecidos por nós e usados ​​pelas pessoas hoje.

Um exemplo é Mizraim, filho de Ham. Seus descendentes se estabeleceram no Egito. Os árabes hoje ainda conhecem o Egito como "Misr". Uma simples pesquisa na internet retorna o seguinte, entre outros:  https://en.wikipedia.org/wiki/Misr. O autor passou fisicamente pelos postos de gasolina com o logotipo “Misr” no próprio Misr, um dos usos incluídos na lista na página referenciada da Wikipedia.

Outro é Kush / Cush, que se refere à região ao sul do país.st Catarata do Nilo, a área do norte moderno e central do Sudão.

Poderíamos continuar, nomeando um após o outro, lembrado como um nome de lugar ou uma área onde certos grupos de pessoas se estabeleceram na antiguidade e foram registrados em vários objetos arqueológicos ao fazê-lo.

Simplificando, se podemos rastrear esses 112 descendentes primitivos de Noé, o relato de Gênesis 10 deve ser verdadeiro.

O relato de Gênesis 10 contém 67 indivíduos nomeados, incluindo Sem, sob a linha de Sem. 65[X] deles podem ser rastreados externamente às escrituras, seja como nomes de lugares ou mencionados como reis em tábuas cuneiformes, etc.

Da mesma forma, Gênesis 10 contém 32 indivíduos na linha de Ham, incluindo Ham. As informações para todos os 32 estão disponíveis, conforme a linha de Shem acima.[Xi]

Finalmente, Gênesis 10 contém 15 indivíduos na linha de Jafé, incluindo Jafé. As informações estão disponíveis para todos os 15, conforme Shem e Ham acima.[Xii]

De fato, as informações para a maioria desses 112 podem ser obtidas nas 4 referências a seguir:

  1. O dicionário da Bíblia para intérpretes. (4 volumes com suplemento) Abingdon Press, Nova York, 1962.
  2. O Novo Dicionário Bíblico. Inter-Varsity Press, Londres, 1972.
  3. As antiguidades dos judeus por Josephus, traduzido por William Whinston.
  4. Comentário sobre a Bíblia Sagrada. Três volumes (1685), Matthew Poole. Fascimile publicado por Banner of Truth Trust, Londres, 1962.

Um breve resumo das informações e suas fontes está bem documentado para esses 112 indivíduos no fascinante livro referenciado intitulado "Depois do Dilúvio ” por Bill Cooper, que o autor recomenda para uma leitura mais aprofundada.

Conclusão

Uma análise de todas as evidências apresentadas neste artigo deve nos levar à conclusão de que Gênesis 3: 18-19 é preciso e confiável quando afirma o seguinte "E os filhos de Noé que saíram da arca foram Sem, Cão e Jafé. … Estes três eram filhos de Noé, e destes era toda a população da terra espalhada no exterior".

Observe o último passado da frase "e a partir destes foi todos os a população da terra se espalhou para o exterior. ” Sim, toda a população da terra!

Mais uma vez, o relato de Gênesis é considerado verdadeiro.

 

[Xiii]  [XIV]

[I] Pdf Gráfico de Gênesis 10, ver https://assets.answersingenesis.org/doc/articles/table-of-nations.pdf

[Ii] Nennius, "História dos bretões", Traduzido por JAGiles;

 https://www.yorku.ca/inpar/nennius_giles.pdf

[III] "A Crônica dos Reis da Grã-Bretanha", traduzido da cópia galesa atribuída a Tysilio, pelo Rev. Peter Roberts 1811.

http://www.yorku.ca/inpar/geoffrey_thompson.pdf  ou um manuscrito muito semelhante

http://www.annomundi.com/history/chronicle_of_the_early_britons.pdf

[IV] "A história da Irlanda" por Geoffrey Keating (1634), traduzido para o inglês por Comyn e Dinneen https://www.exclassics.com/ceitinn/foras.pdf

[V] “Uma história ilustrada da Irlanda de AD400-1800AD” de Mary Frances Cusack http://library.umac.mo/ebooks/b28363851.pdf

[Vi] Asser - Anais do Reinado de Alfredo, o Grande - traduzido por JAGiles https://www.yorku.ca/inpar/asser_giles.pdf

[Vii] O trabalho original tinha "Sceaf", não Shem. Sceaf foi uma derivação de Iapheth. Para mais evidências, consulte Depois do Dilúvio por Bill Cooper p.94

http://www.filosoferick.nl/filosoferick/wp-content/uploads/2014/08/William_Cooper-After-The-Flood-1995.pdf

[Viii] Crônica Anglo-Saxônica, Página 48 (pdf página 66) de https://ia902605.us.archive.org/16/items/anglosaxonchroni00gile/anglosaxonchroni00gile.pdf

[Ix] Scriptores Rerum Danicarum, Medii AE VI - Jacobus Langeberk 1772 https://ia801204.us.archive.org/16/items/ScriptoresRerumDanicarum1/Scriptores%20rerum%20danicarum%201.pdf

[X] Para Shem, veja Depois do Dilúvio, Página p169-185, 205-208

http://www.filosoferick.nl/filosoferick/wp-content/uploads/2014/08/William_Cooper-After-The-Flood-1995.pdf

[Xi] Para Ham, consulte Depois do Dilúvio, página 169, 186-197, 205-208

 http://www.filosoferick.nl/filosoferick/wp-content/uploads/2014/08/William_Cooper-After-The-Flood-1995.pdf

[Xii] Para Jafé, veja Depois do Dilúvio, página 169, 198-204, 205-208

http://www.filosoferick.nl/filosoferick/wp-content/uploads/2014/08/William_Cooper-After-The-Flood-1995.pdf

[Xiii] Corpus Poeticum Boreales - (Edda Prosa) https://ia800308.us.archive.org/5/items/corpuspoeticumbo01guuoft/corpuspoeticumbo01guuoft.pdf

[XIV] Beowulf épico https://ia802607.us.archive.org/3/items/beowulfandfight00unkngoog/beowulfandfight00unkngoog.pdf

Tadua

Artigos por Tadua.
    4
    0
    Adoraria seus pensamentos, por favor, comente.x