Na primeira parte desta série, examinamos as evidências bíblicas sobre essa questão. Também é importante considerar as evidências históricas.

Evidência Histórica

Vamos agora tomar um pouco de tempo para examinar as evidências dos primeiros historiadores, principalmente escritores cristãos dos primeiros séculos depois de Cristo.

Justin Martyr - Diálogo com Trypho[I] (Escrito c. 147 DC - c. 161 DC)

No Capítulo XXXIX, P.573 , escreveu ele: “Portanto, assim como Deus não infligiu Sua ira por causa daqueles sete mil homens, ainda assim Ele ainda não infligiu julgamento, nem o infligiu, sabendo que diariamente alguns [de vocês] estão se tornando discípulos em nome de Cristo, e abandonando o caminho do erro; '”

Justin Martyr - Primeiras desculpas

Aqui, no entanto, no Capítulo LXI (61) encontramos, “Pois, em nome de Deus, o Pai e Senhor do universo, e de nosso Salvador Jesus Cristo, e do Espírito Santo, eles então recebem a lavagem com água.”[Ii]

Não há evidência em nenhum escrito antes de Justino Mártir, (por volta de 150 DC.) De alguém sendo batizado ou a prática sendo que alguém seja batizado, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

Também é altamente provável que este texto na Primeira Apologia possa estar refletindo a prática de alguns cristãos naquela época ou uma alteração posterior do texto.

Evidências de De Rebatismo[III] (um tratado: sobre o rebatismo) por volta de 254 DC. (Escritor: anônimo)

Capítulo 1 “A questão é se, de acordo com o mais antigo costume e tradição eclesiástica, bastaria, depois disso batismo que eles receberam fora da Igreja, de fato, mas ainda em nome de Jesus Cristo nosso Senhor, que somente as mãos deveriam ser impostas sobre eles pelo bispo para que recebessem o Espírito Santo, e esta imposição de mãos lhes proporcionaria o selo renovado e aperfeiçoado da fé; ou se, de fato, uma repetição do batismo seria necessária para eles, como se eles não devessem receber nada se não tivessem obtido o batismo de novo, como se nunca tivessem sido batizados em nome de Jesus Cristo. ".

Capítulo 3 “Porque ainda o Espírito Santo não havia descido sobre nenhum deles, mas eles só foram batizados em nome do Senhor Jesus.". (Isso se referia a Atos 8 ao discutir o batismo dos samaritanos)

Capítulo 4 "Porque batismo em nome de nosso Senhor Jesus Cristo veio antes dele - que o Espírito Santo também seja dado a outro homem que se arrepende e crê. Porque a Sagrada Escritura afirma que aqueles que devem crer em Cristo devem ser batizados no Espírito; de modo que estes também não parecem ter nada menos do que aqueles que são perfeitamente cristãos; para que não seja necessário perguntar que tipo de coisa foi aquele batismo que eles alcançaram em nome de Jesus Cristo. A menos, por acaso, naquela discussão anterior também, sobre aqueles que deveriam apenas ter sido batizados em nome de Jesus Cristo, você deve decidir que eles podem ser salvos mesmo sem o Espírito Santo, ".

Capítulo 5: ”Então respondeu Pedro: Pode alguém proibir a água, para que estes não sejam batizados, os que receberam o Espírito Santo assim como nós? E ele os comandou ser batizado em nome de Jesus Cristo. ””. (Isso se refere ao relato do batismo de Cornélio e sua família.)

Capítulo 6:  “Nem, como eu penso, foi por qualquer outra razão que os apóstolos acusaram aqueles a quem eles se dirigiram no Espírito Santo, que eles deveriam ser batizados em nome de Cristo Jesus, exceto que o poder do nome de Jesus invocado sobre qualquer homem pelo batismo pode proporcionar àquele que deve ser batizado nenhuma vantagem para a obtenção da salvação, como Pedro relata nos Atos dos Apóstolos, dizendo: “Pois não há outro nome debaixo do céu dado entre os homens pelo qual devemos ser salvos. ”(4) Como também o apóstolo Paulo se desdobra, mostrando que Deus exaltou nosso Senhor Jesus, e“ deu-lhe um nome, para que esteja acima de todo nome, que no nome de Jesus todos devem dobrar os joelhos, das coisas celestiais e terrestres, e debaixo da terra, e toda língua deve confessar que Jesus é o Senhor na glória de Deus Pai. ”

Capítulo 6: "Apesar eles foram batizados em nome de Jesus, ainda, se eles tivessem conseguido rescindir seu erro em algum intervalo de tempo ”.

Capítulo 6: “Embora tenham sido batizados com água em nome do senhor, pode ter tido uma fé um tanto imperfeita. Porque é de grande importância que um homem não seja batizado em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, ”.

Capítulo 7 "Nem você deve estimar o que nosso Senhor disse como sendo contrário a este tratamento: “Ide, ensinai as nações; batize-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo ”.

Isso indica claramente que ser batizado em nome de Jesus era a prática e o que Jesus disse, como o escritor desconhecido de De Batismo argumenta que a prática de “batize-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo ” não deve ser considerado para contradizer a ordem de Cristo.

Conclusão: Em meados de 3rd Século, a prática era batizar em nome de Jesus. No entanto, alguns estavam começando a argumentar a favor do batismo “eles em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo ”. Isso foi antes do Concílio de Nicéia em 325 DC, que afirmou a doutrina da Trindade.

Didache[IV] (Escrito: desconhecido, estimativas de cerca de 100 DC a 250 DC, Escritor: desconhecido)

O (s) escritor (es) são desconhecidos, a data da escrita é incerta embora tenha existido de alguma forma por volta de 250 DC. No entanto, significativamente Eusébio do final de 3rd, primeiros 4th Century inclui o Didache (também conhecido como os Ensinamentos dos Apóstolos) em sua lista de obras não canônicas, espúrias. (Ver Historia Ecclesiastica - História da Igreja. Livro III, 25, 1-7).[V]

Didache 7: 2-5 leituras, “7: 2 Tendo primeiro ensinado todas essas coisas, batizar em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo em água viva (corrente). 7: 3 Mas, se não tendes água viva, batizei em outra água; 7: 4 e se você não puder no frio, então no quente. 7: 5 Mas, se você não tem nenhum dos dois, despeje água três vezes na cabeça em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo."

Por contraste:

Didache 9:10 lê, “9:10 Mas ninguém coma ou beba desta ação de graças eucarística, exceto aqueles que foram batizados em nome do Senhor;"

Wikipédia[Vi] estados “O Didache é um texto relativamente curto, com apenas 2,300 palavras. O conteúdo pode ser dividido em quatro partes, que a maioria dos estudiosos concorda que foram combinadas a partir de fontes separadas por um redator posterior: a primeira são os Dois Caminhos, o Modo de Vida e o Modo de Morte (capítulos 1–6); a segunda parte é um ritual que trata do batismo, jejum e comunhão (capítulos 7–10); a terceira fala do ministério e como tratar apóstolos, profetas, bispos e diáconos (capítulos 11–15); e a seção final (capítulo 16) é uma profecia do Anticristo e da Segunda Vinda. ”.

Existe apenas uma cópia completa da Didache, encontrada em 1873, que data apenas de 1056. Eusébio do final de 3rd, primeiros 4th Século inclui o Didache (os Ensinamentos dos Apóstolos) em sua lista de obras espúrias não canônicas. (Ver Historia Ecclesiastica - História da Igreja. Livro III, 25). [Vii]

Atanásio (367) e Rufinus (c. 380) listam os Didache entre os apócrifos. (Rufinus dá o curioso título alternativo Judicium Petri, "Julgamento de Pedro".) É rejeitado por Nicéforo (c. 810), Pseudo-Anastácio e Pseudo-Atanásio em Sinopse e o cânone de 60 livros. É aceito pelas Constituições Apostólicas Cânon 85, João de Damasco e pela Igreja Ortodoxa Etíope.

Conclusão: Os Ensinamentos dos Apóstolos ou Didache já eram comumente considerados espúrios no início dos 4th século. Dado que Didache 9:10 concorda com as escrituras examinadas no início deste artigo e, portanto, contradiz Didache 7: 2-5, na opinião do autor, Didache 9:10 representa o texto original conforme citado extensivamente nos escritos de Eusébio no início 4th Século em vez da versão de Mateus 28:19 como a temos hoje.

Evidência crucial dos escritos de Eusébio Panfíli de Cesaréia (c. 260 DC a c. 339 DC)

Eusébio era um historiador e se tornou bispo de Cesaréia Marítima por volta de 314 DC. Ele deixou muitos escritos e comentários. Seus escritos datam do final do século III em meados da década de 3th Século DC, antes e depois do Concílio de Nicéia.

O que ele escreveu sobre como o batismo era realizado?

Eusébio fez numerosas citações particularmente de Mateus 28:19 como segue:

  1. Historia Ecclesiastica (Eclesiástica \ História da Igreja), Livro 3 Capítulo 5: 2 “Foi a todas as nações pregar o Evangelho, confiando no poder de Cristo, que lhes havia dito: “Vá e faça discípulos de todas as nações em meu nome.”". [Viii]
  2. Demonstratio Evangelica (A prova do evangelho), Capítulo 6, 132 “Com uma palavra e voz, Ele disse aos Seus discípulos:“Vá e faça discípulos de todas as nações em Meu Nome, ensinando-os a observar todas as coisas que eu lhes ordenei ”, [[Mat. xxviii. 19.]] e Ele juntou o efeito à Sua Palavra ”; [Ix]
  3. Demonstratio Evangelica (A prova do evangelho), Capítulo 7, Parágrafo 4 “Mas, embora os discípulos de Jesus provavelmente estivessem dizendo assim ou pensando assim, o Mestre resolveu suas dificuldades, adicionando uma frase, dizendo que eles deveriam (c) triunfar “Em MEU NOME.” Pois Ele não os convidou simplesmente e indefinidamente a fazer discípulos de todas as nações, mas com a necessária adição de ”Em meu nome.” E sendo o poder do Seu Nome tão grande, que o apóstolo diz: “Deus lhe deu um nome que está acima de todo nome, para que em nome de Jesus todo joelho se dobre, das coisas no céu, e nas coisas na terra, e coisas debaixo da terra, ”[[Fil. ii. 9.]] Ele mostrou a virtude do poder em Seu Nome oculto (d) da multidão quando disse aos Seus discípulos: “Vá e faça discípulos de todas as nações em meu nome. ” Ele também prevê o futuro com mais precisão quando diz: “Pois este evangelho deve primeiro ser pregado a todo o mundo, em testemunho a todas as nações”. [[Matt.xxiv.14.]] ”. [X]
  4. Demonstratio Evangelica (A prova do evangelho), Capítulo 7, Parágrafo 9 “… Sou irresistivelmente forçado a refazer meus passos e buscar sua causa, e confessar que eles só poderiam ter tido sucesso em sua ousada aventura, por um poder mais divino e mais forte do que o do homem, e pela cooperação Dele Quem disse a eles: “Fazei discípulos de todas as nações em meu nome.” E quando Ele disse isso, Ele anexou uma promessa, que garantiria sua coragem e prontidão para se dedicarem a cumprir Seus mandamentos. Pois Ele lhes disse: “E eis! Eu estou com você todos os dias, até o fim do mundo. ” [Xi]
  5. Demonstratio Evangelica (A prova do evangelho), Livro 9, Capítulo 11, Parágrafo 4 “E Ele convida Seus próprios discípulos após sua rejeição, "Ide e fazei discípulos de todas as nações em meu nome."[Xii]
  6. Teofania - Livro 4, parágrafo (16): “Nosso Salvador disse-lhes, portanto, depois de Sua ressurreição, "Ide e fazei discípulos de todas as nações em meu nome,"".[Xiii]
  7. Teofania - Livro 5, parágrafo (17): “Ele (o Salvador) disse em uma palavra e declaração a Seus discípulos:“Vá e faça discípulos de todas as nações em meu nome, e ensinai-lhes tudo o que vos ordenei. ” [XIV]
  8. Teofania - Livro 5, parágrafo (49): “e com a ajuda dAquele que lhes disse: “Vá e faça discípulos de todas as nações em meu nome. ”E, quando Ele disse isso a eles, Ele anexou a isso a promessa pela qual eles deveriam ser tão encorajados, tão prontamente a se entregar às coisas ordenadas. Pois Ele lhes disse: “Eis que estou sempre convosco, até o fim do mundo”. Além disso, afirma-se que Ele soprou neles o Espírito Santo com o poder divino; (assim) dando-lhes o poder de fazer milagres, dizendo ao mesmo tempo: “Recebei o Espírito Santo”; e em outro, ordenando-lhes: "Cure os enfermos, purifique os leprosos e expulse os demônios: - de graça recebestes, de graça dai." [XV]
  9. Comentário sobre Isaías -91 “Mas ide antes às ovelhas perdidas da casa de Israel” e : “Ide e fazei discípulos de todas as nações em meu nome". [xvi]
  10. Comentário sobre Isaías - p.174 “Para aquele que lhes disse para “Vão e fazem discípulos de todas as nações em meu nome”Ordenou-lhes que não gastassem suas vidas como sempre fizeram…”. [xvii]
  11. Oração em louvor a Constantino - Capítulo 16: 8 “Depois de sua vitória sobre a morte, ele falou a palavra aos seus seguidores e a cumpriu com o evento, dizendo-lhes: Vá e faça discípulos de todas as nações em meu nome. ” [xviii]

De acordo com o livro Enciclopédia de Religião e Ética, Volume 2, p.380-381[xix] há um total de 21 exemplos nos escritos de Eusébio citando Mateus 28:19, e todos eles omitem tudo entre 'todas as nações' e 'ensinando-os' ou estão na forma 'fazer discípulos de todas as nações em meu nome'. A maioria dos dez exemplos não mostrados e citados acima pode ser encontrada em seu Comentário sobre Salmos, que o autor não conseguiu encontrar online.[xx]

Também há 4 exemplos nos últimos escritos atribuídos a ele, que citam Mateus 28:19 como conhecido hoje. Eles são a Teofania Siríaca, Contra Marcelo, Ecclesiasticus Theologia e uma Carta à Igreja de Cesaréia. No entanto, entende-se que é provável que o tradutor siríaco tenha usado a versão de Mateus 28:19 que ele conhecia então (veja as citações de Teofania acima) e que a autoria dos outros escritos sendo de fato Eusébio seja considerada muito duvidosa.

Deve-se ter em mente que mesmo que esses três escritos tenham sido escritos por Eusébio, todos eles são posteriores ao Concílio de Nicéia em 3 DC. quando a Doutrina da Trindade foi aceita.

Conclusão: A cópia de Mateus 28:19 com a qual Eusébio estava familiarizado, era “Vá e faça discípulos de todas as nações em meu nome. ”. Ele não tinha o texto que temos hoje.

Examinando Mateus 28: 19-20

Na conclusão do livro de Mateus, o Jesus ressuscitado aparece aos 11 discípulos restantes na Galiléia. Lá ele dá as instruções finais. A conta diz:

“E Jesus se aproximou e falou-lhes, dizendo:“ Toda autoridade me foi dada no céu e na terra. 19 Portanto, vá e faça discípulos de pessoas de todas as nações, batizando-os em meu nome,[xxi] 20 ensinando-os a observar todas as coisas que vos ordenei. E olhe! Estou convosco todos os dias, até a terminação do sistema de coisas. ””

Esta passagem de Mateus está em harmonia com tudo o que examinamos até agora neste artigo.

No entanto, você pode estar pensando que, embora seja lido naturalmente e como esperamos do resto dos relatos da Bíblia, há algo que parece ser lido de forma ligeiramente diferente na leitura dada acima em comparação com a (s) Bíblia (s) com a qual você está familiarizado. Se sim, você estaria certo.

Em todas as 29 traduções em inglês que o autor examinou no Biblehub, esta passagem diz: “Toda autoridade me foi dada no céu e na terra. 19 Portanto, vá e faça discípulos de pessoas de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, 20 ensinando-os a observar todas as coisas que vos ordenei. E olhe! Estou convosco todos os dias até à terminação do sistema de coisas. ””.

Também é importante notar que o grego “no nome” aqui está no singular. Isso acrescentaria peso ao pensamento de que a frase "do Pai, do Filho e do Espírito Santo" é uma inserção porque seria natural esperar que fosse precedida pelo plural "no nomes”. Também é relevante que os trinitaristas apontem para este singular “no nome” como apoiando a natureza 3 em 1 e 1 em 3 da Trindade.

O que poderia explicar a diferença?

Como isso veio à tona?

O apóstolo Paulo alertou Timóteo sobre o que aconteceria em um futuro próximo. Em 2 Timóteo 4: 3-4, ele escreveu: “Pois haverá um período de tempo em que não tolerarão o ensino salutar, mas, de acordo com seus próprios desejos, se cercarão de professores para fazer cócegas nos ouvidos. 4 Eles deixarão de ouvir a verdade e darão atenção às histórias falsas ”.

O grupo gnóstico de cristãos que se desenvolveu no início de 2nd século são um bom exemplo do que o apóstolo Paulo advertiu.[xxii]

Problemas com fragmentos do manuscrito de Mateus

Os manuscritos mais antigos contendo Mateus 28 datam apenas do final de 4th século ao contrário de outras passagens de Mateus e dos outros livros da Bíblia. Em todas as versões existentes, o texto é encontrado na forma tradicional que lemos. No entanto, também é importante saber que os dois manuscritos que temos, o antigo latim africano e a versão siríaca antiga, ambos mais antigos do que os primeiros manuscritos gregos que temos de Mateus 28 (Vaticano, alexandrino) são ambos 'defeituosos em este ponto ', apenas a última página de Mateus (contendo Mateus 28: 19-20) tendo desaparecido, provavelmente destruído, em algum momento da antiguidade. Só isso já é suspeito.

Mudanças nos manuscritos originais e má tradução

Em alguns lugares, os textos dos Padres da Igreja Primitiva foram posteriormente alterados para se conformar com as visões doutrinárias então prevalecentes, ou nas traduções, algumas citações das escrituras tiveram o texto original revisado ou substituído pelo texto das escrituras atualmente conhecido, em vez de renderizado como uma tradução de o texto original.

Por exemplo: no livro Evidências patrísticas e a crítica textual do Novo Testamento, Bruce Metzger afirmou “Dos três tipos de evidências que são usados ​​para determinar o texto do Novo Testamento - a saber, evidências fornecidas por manuscritos gregos, por versões anteriores e por citações bíblicas preservadas nos escritos dos Padres da Igreja - é a última que envolve o maiores dificuldades e mais problemas. Há dificuldades, em primeiro lugar, em obter as evidências, não apenas por causa do trabalho de vasculhar os extensos vestígios literários dos Padres em busca de citações do Novo Testamento, mas também por causa das edições satisfatórias das obras de muitos dos os Padres ainda não foram produzidos. Mais de uma vez nos séculos anteriores, um editor bem-intencionado acomodou as citações bíblicas contidas em um determinado documento patrístico ao texto atual do Novo Testamento contra a autoridade dos manuscritos do documento. Além disso, uma parte do problema é que exatamente a mesma coisa acontecia antes da invenção da impressão. Um curto [da tradução da Bíblia de Westcott e Hort] assinalou, 'Sempre que um transcritor de um tratado patrístico estava copiando uma citação diferente do texto ao qual estava acostumado, ele tinha virtualmente dois originais diante de si, um presente aos seus olhos, o outro à sua mente; e se a diferença o atingisse, não era improvável que tratasse o exemplo escrito como tendo errado." [xxiii]

Evangelho hebraico de Mateus [xxiv]

Este é um antigo texto hebraico do livro de Mateus, a cópia mais antiga do qual data do século XIV, onde se encontra em um polêmico tratado judaico intitulado Even Bohan - The Touchstone, de autoria de Shem-Tob ben-Isaac ben- Shaprut (1380). Parece que a base de seu texto é muito mais antiga. Seu texto varia de acordo com o texto grego recebido com Mateus 28: 18-20 lendo o seguinte "Jesus aproximou-se deles e disse-lhes: A mim foi dado todo o poder no céu e na terra. 19 Vá 20 e (ensine-os) a cumprir todas as coisas que eu te ordenei para sempre. ”  Observe como tudo, exceto “Vá” está faltando aqui, em comparação com o versículo 19 que conhecemos nas Bíblias hoje. Todo este texto de Mateus não tem relação com os textos gregos do século 14th Century, ou qualquer texto grego conhecido hoje, portanto, não foi uma tradução deles. Tem algumas ligeiras semelhanças com Q, Codex Sinaiticus, a versão siríaca antiga e o Evangelho copta de Tomé, ao qual Shem-Tob não teve acesso, sendo esses textos perdidos na antiguidade e redescobertos após o 14th século. Muito interessante para um judeu não cristão, também inclui o nome divino cerca de 19 vezes, onde temos Kyrios (Senhor) hoje.[xxv] Talvez Mateus 28:19 seja como a versão Siríaca Antiga ausente neste versículo. Embora não seja possível usar esta informação e ser definitivo sobre Mateus 28:19, certamente é relevante para a discussão.

Escritos de Inácio (35 DC a 108 DC)

Exemplos do que aconteceu com os escritos incluem:

Epístola a Filadélfia - A versão trinitária de Mateus 28:19 só existe no texto de recensão longa. O texto de recensão longa é entendido como um último 4thExpansão do século na recensão do meio original, que foi expandida para apoiar a visão trinitária. Este texto contém a recensão intermediária seguida pela recensão longa.[xxvi]

Epístola aos Filipenses - (Capítulo II) Este texto é aceito como espúrio, ou seja, não foi escrito por Inácio. Vejo https://en.wikipedia.org/wiki/Ignatius_of_Antioch . Além disso, embora este texto espúrio seja lido, “Portanto também o Senhor, quando Ele enviou os apóstolos para fazerem discípulos de todas as nações, ordenou-lhes que“ batizassem em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo ”,[xxvii]

o texto original grego da Epístola aos Filipenses neste lugar aqui tem “batizar em nome de seu Cristo ”. Tradutores modernos substituíram a tradução grega original no texto pelo texto trinitário de Mateus 28:19 com o qual estamos familiarizados hoje.

Citações de estudiosos conhecidos

Comentário de Peake sobre a Bíblia, 1929, página 723

Com relação à leitura atual de Mateus 28:19, diz: “A Igreja dos primeiros dias não observou este mandamento mundial, mesmo que soubesse disso. O comando para batizar no nome triplo é uma expansão doutrinária tardia. No lugar das palavras "batizando ... Espírito", provavelmente deveríamos ler simplesmente "em meu nome, ou seja, (transformar as nações) para o Cristianismo, ou “Em meu nome" … ”().”[xxviii]

James Moffatt - O Novo Testamento Histórico (1901) declarado na p. 648, (681 pdf online)

Aqui, o tradutor da Bíblia James Moffatt declarou sobre a versão da fórmula trinitária de Mateus 28:19, “O uso da fórmula batismal pertence a uma época posterior à dos apóstolos, que empregaram a frase simples do batismo em nome de Jesus. Se esta frase existisse e fosse usada, é incrível que algum traço dela não tivesse sobrevivido; onde a referência mais antiga a ele, fora desta passagem, está em Clem. ROM. e o Didache (Justin Martyr, Apol. i 61). ”[xxix]

Existem numerosos outros estudiosos que escrevem comentários redigidos de forma semelhante com a mesma conclusão, que são omitidos aqui por brevidade.[xxx]

Conclusão

  • A esmagadora evidência bíblica é que os primeiros cristãos foram batizados em nome de Jesus e nada mais.
  • Há sim não ocorrência confiável documentada da fórmula trinitária atual para o batismo antes meados do segundo século e mesmo então, não como uma citação de Mateus 28:19. Quaisquer ocorrências em documentos classificados como Escritos dos Pais da Igreja Primitiva estão em documentos espúrios de origem duvidosa e (mais tarde) datação.
  • Até pelo menos por volta da época do Primeiro Concílio de Nicéia em 325 DC, a versão disponível de Mateus 28:19 continha apenas as palavras “Em meu nome” conforme citado extensivamente por Eusébio.
  • Portanto, embora não possa ser provado sem dúvida, é altamente provável que não foi até o final de 4th Século em que a passagem em Mateus 28:19 foi emendada para se adequar ao, até então prevalecente ensino da Trindade. Este período de tempo e mais tarde também é provavelmente o momento em que alguns escritos cristãos anteriores também foram alterados para se conformar com o novo texto de Mateus 28:19.

 

Em resumo, portanto, Mateus 28:19 deve ser lido como segue:

“E Jesus se aproximou e falou-lhes, dizendo:“ Toda autoridade me foi dada no céu e na terra. 19 Portanto, vá e faça discípulos de pessoas de todas as nações, batizando-os em meu nome,[xxxi] 20 ensinando-os a observar todas as coisas que vos ordenei. E olhe! Estou convosco todos os dias, até a terminação do sistema de coisas. ””.

continua …

 

Na Parte 3, examinaremos as questões que essas conclusões levantam sobre a atitude da Organização e sua visão do batismo ao longo dos anos.

 

 

[I] https://www.ccel.org/ccel/s/schaff/anf01/cache/anf01.pdf

[Ii] https://ccel.org/ccel/justin_martyr/first_apology/anf01.viii.ii.Lxi.html

[III] https://www.ccel.org/ccel/schaff/anf05.vii.iv.ii.html

[IV] https://onlinechristianlibrary.com/wp-content/uploads/2019/05/didache.pdf

[V] “Entre os escritos rejeitados devem ser contados também os Atos de Paulo, e o assim chamado Pastor, e o Apocalipse de Pedro, e em adição a estes a carta existente de Barnabé, e os chamados Ensinamentos dos Apóstolos; e além disso, como eu disse, o Apocalipse de João, se parecer adequado, que alguns, como eu disse, rejeitam, mas que outros classificam com os livros aceitos. ”

https://www.documentacatholicaomnia.eu/03d/0265-0339,_Eusebius_Caesariensis,_Historia_ecclesiastica_%5bSchaff%5d,_EN.pdf p.275 Número da página do livro

[Vi] https://en.wikipedia.org/wiki/Didache

[Vii] “Entre os escritos rejeitados devem ser contados também os Atos de Paulo, e o assim chamado Pastor, e o Apocalipse de Pedro, e em adição a estes a carta existente de Barnabé, e os chamados Ensinamentos dos Apóstolos; e além disso, como eu disse, o Apocalipse de João, se parecer adequado, que alguns, como eu disse, rejeitam, mas que outros classificam com os livros aceitos. ”

https://www.documentacatholicaomnia.eu/03d/0265-0339,_Eusebius_Caesariensis,_Historia_ecclesiastica_%5bSchaff%5d,_EN.pdf p.275 Número da página do livro

[Viii] https://www.newadvent.org/fathers/250103.htm

[Ix] http://www.tertullian.org/fathers/eusebius_de_05_book3.htm

[X] http://www.tertullian.org/fathers/eusebius_de_05_book3.htm

[Xi] http://www.tertullian.org/fathers/eusebius_de_05_book3.htm

[Xii] http://www.tertullian.org/fathers/eusebius_de_11_book9.htm

[Xiii] http://www.tertullian.org/fathers/eusebius_theophania_05book4.htm

[XIV] http://www.tertullian.org/fathers/eusebius_theophania_05book5.htm

[XV] http://www.tertullian.org/fathers/eusebius_theophania_05book5.htm

[xvi] https://books.google.ca/books?id=R7Q_DwAAQBAJ&printsec=frontcover&source=gbs_ge_summary_r&hl=en&pli=1&authuser=1#v=snippet&q=%22in%20my%20name%22&f=false

[xvii] https://books.google.ca/books?id=R7Q_DwAAQBAJ&printsec=frontcover&source=gbs_ge_summary_r&hl=en&pli=1&authuser=1#v=snippet&q=%22in%20my%20name%22&f=false

[xviii] https://www.newadvent.org/fathers/2504.htm

[xix] https://ia902906.us.archive.org/22/items/encyclopediaofreligionandethicsvolume02artbunjameshastings_709_K/Encyclopedia%20of%20Religion%20and%20Ethics%20Volume%2002%20Art-Bun%20%20James%20Hastings%20.pdf  Role cerca de 40% de todo o livro para baixo até o título "Batismo (Cristão Primitivo)"

[xx] https://www.earlychristiancommentary.com/eusebius-texts/ Contém a História da Igreja, Chronicon, Contra Hieroclem, Demonstratio Evangelica, Theophania e uma série de outros textos menores.

[xxi] Ou “em nome de Jesus Cristo”

[xxii] https://en.wikipedia.org/wiki/Gnosticism

[xxiii] Metzger, B. (1972). Evidências patrísticas e a crítica textual do Novo Testamento. Estudos do Novo Testamento, 18(4), 379-400. doi:10.1017/S0028688500023705

https://www.cambridge.org/core/journals/new-testament-studies/article/patristic-evidence-and-the-textual-criticism-of-the-new-testament/D91AD9F7611FB099B9C77EF199798BC3

[xxiv] https://www.academia.edu/32013676/Hebrew_Gospel_of_MATTHEW_by_George_Howard_Part_One_pdf?auto=download

[xxv] https://archive.org/details/Hebrew.Gospel.of.MatthewEvenBohanIbn.ShaprutHoward.1987

[xxvi] https://www.ccel.org/ccel/schaff/anf01.v.vi.ix.html

[xxvii] https://www.ccel.org/ccel/schaff/anf01.v.xvii.ii.html

[xxviii] https://archive.org/details/commentaryonbibl00peak/page/722/mode/2up

[xxix] https://www.scribd.com/document/94120889/James-Moffat-1901-The-Historical-New-Testament

[xxx] Disponível a pedido do autor.

[xxxi] Ou “em nome de Jesus Cristo”

Tadua

Artigos por Tadua.
    6
    0
    Adoraria seus pensamentos, por favor, comente.x