Em nosso vídeo anterior intitulado “O Espírito de Deus entristece quando rejeitamos nossa esperança celestial de um paraíso terrestre?  Fizemos a pergunta sobre se alguém poderia realmente ter uma esperança terrena no paraíso na terra como um cristão justo? Mostramos, com o uso das Escrituras, que isso não é possível porque é a unção com espírito santo que nos torna justos. Uma vez que a doutrina das Testemunhas de Jeová de ser amigo de Jeová e ter uma esperança terrena não é bíblica, queríamos explicar a partir das Escrituras qual é a verdadeira esperança de salvação para os cristãos. Também discutimos que fixar nossos olhos no céu não é olhar para o céu como se fosse um local físico onde viveremos. Onde e como vamos realmente viver e trabalhar é algo que confiamos que Deus revelará na plenitude do tempo, sabendo que o que quer que tudo aconteça, será melhor e mais satisfatório do que nossas imaginações mais loucas.

Eu preciso esclarecer algo aqui antes de prosseguir. Eu acredito que os mortos serão ressuscitados para a terra. Essa será a ressurreição dos injustos e será a vasta maioria dos humanos que já viveram. Portanto, não pense nem por um momento que eu não acredito que a terra será habitada sob o reino de Cristo. No entanto, não estou falando sobre a ressurreição dos mortos neste vídeo. Neste vídeo, estou falando sobre a primeira ressurreição. A PRIMEIRA RESSURREIÇÃO. Veja, a primeira ressurreição é a ressurreição não dos mortos, mas dos vivos. Essa é a esperança dos cristãos. Se isso não faz sentido para você, considere estas palavras de nosso Senhor Jesus:

“Em verdade vos digo que quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou tem a vida eterna e não entrará em juízo, mas passou da morte para a vida”. (João 5:24 Nova Versão King James)

Veja, a unção de Deus nos move para fora da categoria daqueles que Deus considera como mortos e para o grupo que ele considera vivos, embora ainda sejamos pecadores e possamos ter morrido fisicamente.

Agora vamos começar revisando a esperança de salvação cristã conforme delineada na Bíblia. Vamos começar examinando os termos “céu” e “céus”.

Quando você pensa no céu, você pensa em um céu noturno estrelado, um lugar de luz inacessível ou um trono onde Deus está sentado sobre pedras preciosas brilhantes? É claro que muito do que sabemos sobre o céu nos é dado pelos profetas e apóstolos em linguagem simbólica vívida porque somos seres físicos com capacidades sensoriais finitas que não foram projetados para entender dimensões além de nossa vida no espaço e no tempo. Além disso, precisamos ter em mente que aqueles de nós que têm afiliação, ou tiveram afiliação, com religião organizada, provavelmente podem ter falsas suposições sobre o céu; então, vamos estar cientes disso e adotar uma abordagem exegética para nosso estudo do céu.

Em grego, a palavra para céu é οὐρανός (o-ra-nós) significando a atmosfera, o céu, o céu estrelado visível, mas também os céus espirituais invisíveis, o que chamamos simplesmente de "céu". Uma nota no Helps Word-studies no Biblehub.com diz que “o singular “céu” e o plural “céus” têm conotações distintas e, portanto, devem ser distinguidos na tradução, embora infelizmente raramente sejam”.

Para nosso propósito como cristãos que desejam entender nossa esperança de salvação, estamos preocupados com os céus espirituais, aquela realidade celestial do Reino de Deus. Jesus diz: “Na casa de meu Pai há muitos aposentos. Se não fosse assim, eu teria dito a vocês que vou preparar um lugar para vocês?” (João 14:2 BSB)

Como entendemos a expressão de Jesus de um local real, como uma casa com cômodos, em conexão com a realidade do Reino de Deus? Não podemos realmente pensar que Deus mora em uma casa, podemos? Você sabe, com pátio, sala, quartos, cozinha e dois ou três banheiros? Jesus disse que há muitos aposentos em sua casa e ele está indo ao seu Pai para preparar um lugar para nós. É óbvio que ele está usando uma metáfora. Então precisamos parar de pensar em um lugar e começar a pensar em outra coisa, mas exatamente o quê?

E o que aprendemos sobre o céu com Paulo? Depois de sua visão de ser arrebatado ao “3º céu”, ele disse:

“Fui apanhado paraíso e ouvi coisas tão espantosas que não podem ser expressas em palavras, coisas que nenhum humano pode contar. (2 Coríntios 12:4 NLT)

É surpreendente, não é, que Paulo use a palavra “paraíso," em grego paraíso, (pa-rá-di-sos) que se define como “um parque, um jardim, um paraíso. Por que Paulo usaria a palavra paraíso para descrever um lugar intangível como o céu? Nós tendemos a pensar no paraíso como um lugar físico como o Jardim do Éden com flores coloridas e cachoeiras imaculadas. É interessante que a Bíblia nunca se refere diretamente ao Jardim do Éden como um paraíso. A palavra ocorre apenas três vezes nas Escrituras Gregas Cristãs. No entanto, relaciona-se com a palavra para jardim, que nos faz pensar no jardim do Éden, e o que havia de único nesse jardim em particular? Era um lar criado por Deus para os primeiros humanos. Então, talvez, sem pensar, olhemos para aquele jardim do Éden a cada menção do paraíso. Mas não devemos pensar no paraíso como um único lugar, mas sim como algo preparado por Deus para seus filhos habitarem. reino!" Jesus poderia responder: “Em verdade te digo que hoje estarás comigo em Paraíso.” (Lucas 23:42,43 BSB). Em outras palavras, você estará comigo em um lugar que Deus preparou para seus filhos humanos.

A ocorrência final da palavra é encontrada em Apocalipse, onde Jesus está falando aos cristãos ungidos. “Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. Ao vencedor darei que coma da árvore da vida, que está no paraíso de Deus." (Apocalipse 2:7 BSB)

Jesus está preparando um lugar para os reis e sacerdotes na casa de seu Pai, mas Deus também está preparando a Terra para ser habitada por humanos injustos ressuscitados — aqueles que devem se beneficiar das ministrações sacerdotais dos reis e sacerdotes ungidos com Jesus. Verdadeiramente então, como foi o caso no Éden antes da queda da Humanidade no pecado, o Céu e a Terra se unirão. O espiritual e o físico se sobrepõem. Deus estará com a humanidade por meio de Cristo. No bom tempo de Deus, a terra será um paraíso, ou seja, um lar preparado por Deus para sua família humana.

Não obstante, outro lar preparado por Deus por meio de Cristo para os cristãos ungidos, seus filhos adotivos, também pode ser corretamente chamado de paraíso. Não estamos falando de árvores e flores e riachos borbulhantes, mas sim de um belo lar para os filhos de Deus que tomará a forma que ele decidir. Como podemos expressar pensamentos espirituais com palavras terrenas? Nós não podemos.

É errado usar o termo “esperança celestial”? Não, mas temos que ter cuidado para que não se torne um bordão que englobe uma falsa esperança, porque não é uma expressão escriturística. Paulo fala sobre uma esperança reservada para nós nos céus – plural. Paulo nos diz em sua carta aos Colossenses:

“Sempre damos graças a Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, quando oramos por vós, pois ouvimos falar da vossa fé em Cristo Jesus e do amor que tendes para com todos os santos, por causa do a esperança que vos está reservada nos céus”. (Colossenses 1:3-5 NWT)

“Céus”, plural, é usado centenas de vezes na Bíblia. Não se destina a transmitir uma localização física, mas sim algo sobre um estado de ser humano, uma fonte de autoridade ou governo que está sobre nós. Uma autoridade que aceitamos e que nos dá segurança.

O termo “reino dos céus” não aparece uma única vez na tradução do Novo Mundo, mas ocorre centenas de vezes nas publicações da Watch Tower Corporation. Se eu disser “reino dos céus”, você naturalmente pensará em um lugar. Assim, as publicações são, na melhor das hipóteses, descuidadas ao fornecer o que gostam de chamar de “comida na hora certa”. Se eles seguissem a Bíblia e dissessem com precisão “reino dos céus” (observe o plural) que ocorre 33 vezes no livro de Mateus, eles evitariam sugerir uma localização. Mas talvez isso não apoiasse sua doutrina de que os ungidos desaparecem para o céu, para nunca mais serem vistos. Obviamente, por causa de seu uso plural, não se refere a vários lugares, mas sim ao governo que vem de Deus. Com isso em mente, vamos ler o que Paulo tem a dizer aos coríntios:

“Agora digo isto, irmãos, que a carne e o sangue não podem herdar o reino de Deus, nem a decadência herda a imortalidade”. (1 Coríntios 15:50 Bíblia Literal Bereana).

Aqui não estamos falando de um local, mas sim de um estado de ser.

De acordo com o contexto de 1 Coríntios 15, seremos criaturas espirituais.

“Assim é com a ressurreição dos mortos. É semeado em corrupção; é ressuscitado na incorrupção. É semeado em desonra; é levantado em glória. É semeado na fraqueza; é elevado no poder. É semeado um corpo físico; é levantado um corpo espiritual. Se há um corpo físico, há também um espiritual. Assim está escrito: “O primeiro homem, Adão, tornou-se uma pessoa viva.” O último Adão tornou-se um espírito vivificante.” (1 Coríntios 15:42-45)

Além disso, João diz especificamente que esses justos ressuscitados terão um corpo celestial como Jesus:

“Amados, agora somos filhos de Deus, e o que seremos ainda não foi revelado. Sabemos que quando Cristo aparecer, seremos como Ele, pois O veremos como Ele é”. (1 João 3:2 BSB)

Jesus fez alusão a isso ao responder à pergunta capciosa dos fariseus:

“Respondeu Jesus: Os filhos desta idade casam-se e dão-se em casamento. Mas aqueles que são considerados dignos de participar da era vindoura e da ressurreição dos mortos não se casarão nem se darão em casamento. Na verdade, eles não podem mais morrer, porque são como os anjos. E como são filhos da ressurreição, são filhos de Deus”. (Lucas 20:34-36 BSB)

Paulo repete o tema de João e Jesus de que os justos ressuscitados terão um corpo espiritual como Jesus.

“Mas nossa cidadania está nos céus, e de lá aguardamos ansiosamente um Salvador, o Senhor Jesus Cristo, que, pelo poder que o capacita a sujeitar todas as coisas a si mesmo, transformará nossos corpos humildes para serem semelhantes ao seu corpo glorioso”. (Filipenses 3:21 BSB)

Devemos lembrar que ter um corpo espiritual não significa que os filhos de Deus estarão trancados para sempre em reinos de luz para nunca mais ver a grama verde da terra novamente (como os ensinamentos de JW nos querem fazer crer).

“Então vi um novo céu e uma nova terra, pois o primeiro céu e a terra haviam passado, e o mar já não existia. Eu vi a cidade santa, a nova Jerusalém, que descia do céu da parte de Deus, adereçada como uma noiva adornada para seu marido. E ouvi uma grande voz do trono que dizia: “Eis que a morada de Deus está com os homens, e com eles habitará. Eles serão Seu povo, e o próprio Deus estará com eles como seu Deus. (Apocalipse 21:1-3 BSB)

E você fez com que eles se tornassem um Reino de sacerdotes para o nosso Deus. E eles reinarão sobre a terra”. (Apocalipse 5:10 NLT)

É difícil supor que servir como reis e sacerdotes signifique outra coisa senão interagir com humanos injustos em forma humana para ajudar aqueles que se arrependeram no ou durante o Reino Messiânico. É provável que os filhos de Deus assumam um corpo carnal (conforme necessário) para trabalhar na terra, assim como Jesus fez, depois de ressuscitar. Lembre-se, Jesus apareceu repetidamente nos 40 dias anteriores à sua ascensão, sempre em forma humana, e depois desapareceu de vista. Sempre que os anjos interagiram com os humanos nas Escrituras pré-cristãs, eles assumiram a forma humana, aparecendo como homens normais. É certo que, neste momento, estamos nos envolvendo em conjecturas. Justo. Mas lembre-se do que discutimos no início? Não importa. Os detalhes não importam agora. O que importa é que sabemos que Deus é amor e seu amor é sem medida, por isso não temos motivos para duvidar que a oferta que nos é feita é digna de todos os riscos e de todos os sacrifícios.

Devemos também ter em mente que, como filhos de Adão, não temos o direito de ser salvos, ou mesmo ter uma esperança de salvação porque estamos condenados à morte. (“Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor.” Romanos 6:23) É somente como os filhos de Deus que depositam fé em Jesus Cristo (ver João 1:12 , 13) e são guiados pelo Espírito que misericordiosamente nos é dada uma esperança de salvação. Por favor, não cometamos o mesmo erro de Adão e pensemos que podemos ter a salvação em nossos próprios termos. Temos que seguir o exemplo de Jesus e fazer o que nosso Pai celestial nos manda fazer para sermos salvos. “Nem todo aquele que me diz: 'Senhor, Senhor' entrará no reino dos céus, mas somente aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus”. (Mateus 7:21 BSB)

Então agora vamos rever o que a Bíblia diz sobre nossa esperança de salvação:

Primeiro, aprendemos que fomos salvos pela graça (através de nossa fé) como um dom de Deus. “Mas, pelo seu grande amor por nós, Deus, que é riquíssimo em misericórdia, nos deu vida com Cristo, estando nós mortos em nossos delitos. É pela graça que você foi salvo!” (Efésios 2:4-5 BSB)

Segundo, é Jesus Cristo que torna nossa salvação possível através de seu sangue derramado. Os filhos de Deus tomam Jesus como seu mediador da nova aliança como o único meio de reconciliação com Deus.

“A salvação não existe em nenhum outro, pois não há outro nome debaixo do céu dado aos homens pelo qual devamos ser salvos”. (Atos 4:12 BSB)

“Pois há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens, o homem Cristo Jesus, que se deu a si mesmo em resgate por todos”. (1 Timóteo 2:5,6 BSB).

“…Cristo é o mediador de uma nova aliança, para que aqueles que são chamados recebam a herança eterna prometida, agora que ele morreu como resgate para libertá-los dos pecados cometidos sob a primeira aliança”. (Hebreus 9:15 BSB)

Terceiro, ser salvo por Deus significa responder ao seu chamado de nós por meio de Cristo Jesus: “Cada um leve a vida que o Senhor lhe confiou e à qual Deus o chamou. ”(1 Corinthians 7: 17)

Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos abençoou em Cristo com todas as bênçãos espirituais nas regiões celestiais. Por Ele nos escolheu nele antes da fundação do mundo ser santo e irrepreensível em Sua presença. Em amor nos predestinou para filhos de adoção por meio de Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua vontade”. (Efésios 1:3-5).

Em quarto lugar, há apenas UMA verdadeira esperança de salvação cristã que é ser um filho ungido de Deus, chamado por nosso Pai, e o destinatário da vida eterna. “Há um só corpo e um só Espírito, assim como você foi chamado para uma esperança quando você foi chamado; Um Senhor, uma fé, um batismo; um só Deus e Pai de todos, que é sobre todos e por todos e em todos”. (Efésios 4:4-6 BSB).

O próprio Jesus Cristo ensina aos filhos de Deus que há apenas uma esperança de salvação e que é suportar uma vida difícil como um justo e então ser recompensado entrando no reino dos céus. “Felizes os cônscios de sua necessidade espiritual, porque a eles pertence o reino dos céus (Mateus 5:3 NWT)

“Felizes os perseguidos por causa da justiça, porque a eles pertence o reino dos céus.” (Mateus 5:10 NTLH)

"Felizes são VOCÊ quando as pessoas censuram VOCÊ e perseguir VOCÊ e mentindo dizer todo tipo de maldade contra VOCÊ pelo meu bem. Alegrem-se e saltem de alegria, pois SUA grande é a recompensa nos céus; pois assim perseguiram os profetas antes de VOCÊ.” (Mateus 5:11,12 NWT)

Quinto, e finalmente, em relação à nossa esperança de salvação: há apenas duas ressurreições apoiadas nas Escrituras, não três (nenhum amigo justo de Jeová sendo ressuscitado para uma terra paradísica ou sobreviventes justos do Armagedom permanecendo na terra). Dois lugares nas Escrituras Cristãs apóiam o ensino bíblico de:

1) A ressurreição do justo estar com Cristo como reis e sacerdotes nos céus.

2) A ressurreição do injusto para a terra para julgamento (muitas Bíblias traduzem julgamento como “condenação” – sua teologia é que se você não for ressuscitado com os justos, então você pode ressuscitar apenas para ser lançado no lago de fogo depois que os 1000 anos terminarem).

“E tenho em Deus a mesma esperança que eles mesmos nutrem, de que haverá uma ressurreição tanto de justos como de ímpios.” (Atos 24:15 BSB)

 “Não se maravilhe com isso, porque vem a hora em que todos os que estão em seus túmulos ouvirão a sua voz e sairão: os que fizeram o bem para a ressurreição da vida e os que fizeram o mal para a ressurreição do juízo. .” (João 5:28,29 BSB)

Aqui nossa esperança de salvação é claramente declarada nas Escrituras. Se achamos que podemos ganhar a salvação apenas esperando para ver o que acontece, precisamos pensar com mais cuidado. Se pensamos que temos direito à salvação porque sabemos que Deus e seu Filho Jesus Cristo são bons, e queremos ser bons, isso não é suficiente. Paulo nos adverte a trabalhar nossa salvação com temor e tremor.

“Portanto, meu amado, como você sempre obedeceu, não apenas na minha presença, mas agora ainda mais na minha ausência, continue a trabalhar a sua salvação com temor e tremor. Pois é Deus quem opera em você o querer e o realizar em favor do Seu bom propósito”. (Filipenses 2:12,13 BSB)

Intrínseco ao desenvolvimento de nossa salvação é o amor à verdade. Se não amamos a verdade, se pensamos que a verdade é condicional ou relativa às nossas próprias vontades e desejos carnais, não podemos esperar que Deus nos encontre, porque ele procura aqueles que adoram em espírito e em verdade. (João 4:23, 24)

Antes de concluirmos, queremos focar em algo que parece que muitos sentem falta em relação à nossa esperança de salvação como cristãos. Paulo disse em Atos 24:15 que tinha esperança de que haveria uma ressurreição dos justos e dos injustos? Por que ele esperaria a ressurreição dos injustos? Por que esperar pelos injustos? Para responder a isso, voltamos ao nosso terceiro ponto sobre ser chamado. Efésios 1:3-5 nos diz que Deus nos escolheu antes da fundação do mundo e nos predestinou para a salvação como Seus filhos por meio de Jesus Cristo. Porque escolher-nos? Por que predestinar um pequeno grupo de humanos para adoção? Ele não quer que todos os humanos voltem para sua família? Claro que sim, mas o meio de conseguir isso é primeiro qualificar um pequeno grupo para uma função específica. Esse papel é servir tanto como governo quanto como sacerdócio, novos céus e nova terra.

Isso é evidente nas palavras de Paulo aos colossenses: “Ele [Jesus] é antes de todas as coisas, e nele todas as coisas subsistem. E Ele é a cabeça do corpo, a igreja; [somos nós] Ele é o princípio e o primogênito dentre os mortos, [o primeiro, mas os filhos de Deus seguirão] para que em todas as coisas tenha preeminência. Pois Deus se agradou de que toda a sua plenitude habitasse nele, e por meio dele reconciliasse consigo todas as coisas, [que inclui os injustos], tanto as coisas da terra como as coisas do céu, fazendo a paz pelo sangue de sua cruz”. (Colossenses 1:17-20 BSB)

Jesus e seus reis e sacerdotes associados formarão a administração que trabalhará para reconciliar toda a humanidade de volta à família de Deus. Então, quando falamos da esperança de salvação dos cristãos, é uma esperança diferente daquela que Paulo ofereceu aos injustos, mas o fim é o mesmo: a vida eterna como parte da família de Deus.

Então, para concluir, vamos fazer a pergunta: é a vontade de Deus trabalhando em nós quando dizemos que não queremos ir para o céu? Que queremos estar em uma terra paradísica? Estamos entristecendo o espírito santo quando nos concentramos no local e não no papel que nosso Pai quer que desempenhemos no cumprimento de seu propósito? Nosso Pai celestial tem um trabalho para nós. Ele nos chamou para fazer este trabalho. Vamos responder desinteressadamente?

Hebreus nos diz: “Pois, se a mensagem dos anjos era obrigatória, e toda transgressão e desobediência recebeu o seu justo castigo, como escaparemos se negligenciarmos tão grande salvação? Esta salvação foi primeiramente anunciada pelo Senhor, foi-nos confirmada por aqueles que o ouviram”. (Hebreus 2:2,3 BSB)

“Quem rejeitou a lei de Moisés morreu sem misericórdia pelo depoimento de duas ou três testemunhas. Quanto mais severamente você acha que merece ser punido alguém que pisou no Filho de Deus, profanou o sangue da aliança que o santificou e insultou o Espírito da graça?” (Hebreus 10:29 BSB)

Tenhamos cuidado para não insultar o espírito da graça. Se quisermos cumprir nossa verdadeira e única esperança cristã de salvação, devemos fazer a vontade de nosso Pai que está nos céus, seguir a Jesus Cristo e ser movidos pelo espírito santo a agir em retidão. Os filhos de Deus têm um forte compromisso de seguir nosso salvador que dá vida ao paraíso, o lugar que Deus preparou para nós. É realmente a condição de viver para sempre... e requer tudo o que somos, queremos e esperamos. Como Jesus nos disse em termos inequívocos: “Se você quer ser meu discípulo, você deve, em comparação, odiar todos os outros – seu pai e sua mãe, esposa e filhos, irmãos e irmãs – sim, até mesmo sua própria vida. Caso contrário, você não pode ser meu discípulo. E se você não carrega sua própria cruz e me segue, você não pode ser meu discípulo”. (Lucas 14:26 NLT)

Obrigado pelo seu tempo e seu apoio.

Meleti Vivlon

Artigos de Meleti Vivlon.
    30
    0
    Adoraria seus pensamentos, por favor, comente.x